A Marca do Ceará

O Grupo O Povo de Comunicação, em pareceiria com o SINAPRO-CE e apoio do governo do Estado, lançaram uma campanha pra aumentar (mais ainda) a auto estima do cearense ( o povo mais Fresco desse meu Brasil)  através de uma marca.

Estão em votação no site as seguintes marcas:

Para visualizar e votar nas marcas clica aqui.

Segundo os idealizadores da campanha , a marca que vencer não pertencerá ao Grupo de Comunicação O POVO, nem ao Governo do Estado do Ceará. Ela será registrada em cartório, em nome do povo cearense e não terá custos de aplicação e liberação para instituições, associações, empresas, sindicatos, ongs, grupos econômicos, municípios, e outros que tenham interesse em utiliza-la em ações de marketing e campanhas publicitárias.

A gente tem até o dia 28 de maio pra decidir qual marca tem A CARA do ceará. E aí que vocês acharam das opções? Acham que fazem jus ao povo da cabeça chata?

Anúncios

De mágica em mágica

digitalizar0005

eu4Essa é a criação de Fernando Costa e Evandro Abreu enquanto dupla na Slogan, feito para divulgar o evento que o jornal O Povo trazia Whashington Olivetto para Fortaleza . Pois bem, essa peça é histórica e registra bem como é a publicidade cearense, passaram 20 anos e o publicitário da terra contiua suando muito pra fazer mágica, mágica de criar sem briefing, mágica de escolher mídia sem planejamento ou mágica de multiplicar a verba do cliente.

Domingão da mulher

eu5Esses são alguns anúncios que sairam nesse domingo, 8 de março, Dia da Mulher. Como de costume das datas especiais, o jornal estava repleto de anúncios de oportunidade, veja alguns.

Para ampliar é só clicar nas imagens.

mulher-verde-mares1

slogan-mulher

mulher-acesso-copia

ceara-autos

mulher-advance

mulher-bolero

Transforme a crise em um case

eu6

O site do O Povo Online de domingo, 18 de janeiro, anunciou que a crise financeira já atingiu o Brasil, e com uma salada de números, argumenta que a tal  vai persistir por um tempo indeterminado e que não há remédio do governo e instituições financeiras que possam solucionar a curto prazo. Pois bem colega publicitário, se seu cliente tem o costume de ler esse site, ou muitos outros que também divulgam a mesma crise, prepare-se para tempos difíceis, mas também, tempos de oportunidades.

Vou repetir o mantra, mas não esticar, de que o cliente não pode parar de anunciar, que ele precisa sempre reforçar a marca para o consumidor e que agora a agência precisa provar o quanto é boa , mostrando toda a sua capacidade criativa. Isso é a reação previsível em qualquer crise, no entanto, o nosso momento é único na história da publicidade. Porque além da crise de confiança no mercado financeiro, estamos vivendo o tempo da crise nas mídias. Os maiores provedores de BV para as agências em nosso estado passam por tempos complicados, há a tendência da queda da produção de jornais impressos em todo o mundo. O aumento da antipatia pelos outdoors causado pela poluição visual o que já resultou na proibição em outras cidades. E agora, não há mais uma líder absoluta na televisão, a audiência além de está divida tem perdido expectadores para a internet.

Então camarada publicitário, o quadro é o seguinte: precisamos anunciar, mas não sabemos o quanto será eficaz o anúncio, e nosso mercado desconhece e subestima qualquer outra mídia que saia do quadrado jornal, rádio, TV e outdoor. Internet e outro tipo de mídia não convencional que não está na tabela do sindicato são descartadas. Deixados de lado por não saberem o quanto cobrar para o cliente, ou o medo do novo pelo seu desconhecimento e falta de domínio.

Nesse quadro o tombo pode ser muito maior para a agências, porque no ano de 2008, foi cultivada a mesmice, conseqüência do ano recorde na economia e otimismo exagerado em diversos setores, logo, na publicidade que tava dando certo não se mexia. Mas agora que o cinto apertou, querem resolver o problema com a criatividade, mas não vão ser apenas bons títulos ou layouts inéditos que vão resolver o problema. Os clientes e agências não foram preparados para utilizarem as mídias alternativas, para muitos, Orkut ainda é papo de adolescente e não um espaço para comunicação da sua marca. Além disso, as grandes mídias de comunicação do estado, caminham lentamente para a internet, e ainda omitindo o potencial que a web 2.0 tem a oferecer.

Você deve aproveitar o momento da crise para ousar, para usar da melhor maneira possível a curta verba do seu cliente, mostre a ele que sua agência faz diferença, que você não é preso na caixa. Agência trabalha para a marca do cliente e não para as mídias. Aprenda com a crise a usar de uma maneira eficaz outros meios e a convencê-lo que ele vai gastar menos e ter um retorno maior. Quando o cliente ganhar dinheiro, a crise vai virar case.

Olhar Estrangeiro na Vila

Nessa sexta-feira será a inauguração da Vila das Artes (até que enfim!), e ocorrerá a palestra do professor Nelson Brissac Peixoto, é aquele cara do texto do olhar estrangeiro que o Salmito nos apresentou. O evento está marcado para hoje às 20 horas.

Leia mais no O Povo no caderno Vida e Arte, está disponível a versão digital do impresso no site.