2009 foi uma piada.

O ano começou numa grande crise econômica mundial, as empresas trabalhavam com o pé no freio e a mão na embreagem. Assim, até Rubinho chegava à frente. A gripe suína assustou o Brasil e o mundo. Quando a situação chegava ao fundo do poço, nosso país descobriu o pré-sal, um tesouro escondido dentro do mar. No oceano atlântico também foram encontrados alguns destroços do vôo Air France 447, entre Rio de Janeiro e Paris com 228 pessoas a bordo.

Mesmo sem entrar em campo, o Brasil conquistou a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. Fortaleza também se deu bem, foi escolhida como cidade subsede do maior evento futebolístico do planeta, essa vitória vai melhorar nossa infraestrutura, trânsito e principalmente a prostituição. Porque com vários gringos circulando com a cueca recheada de dólar, o que não vai faltar nas esquinas são garotas que atuam como profissionais do sexo e sem diploma. Os jornalistas ganharam mais um rascunho: seu certificado.

A TV digital chegou ao Brasil, mas o que continua fazendo sucesso mesmo é reality show e futebol. Ronaldo jogou a temporada no Corinthians, perdeu peso e ganhou títulos. Adriano, o imperador da Itália, voltou para a cidade maravilhosa, subiu o morro e depois caiu nos braços da torcida do Flamengo, conquistando o hexacampeonato e de quebra, a artilharia do Brasileirão. Dunga também ganhou tudo, já dizem que é melhor do que Maradona. O craque argentino conseguiu prolongar à carreira, pelo menos até a Copa com uma classificação sofrida.

Michael Jackson morre aos 50 anos, vai deixar muitos garotinhos com saudade. Patrick Swayze foi viver do outro lado da vida. O protagonista de Ghost lutou até o fim contra o câncer pancreático. O estilista e deputado, Clodovil também nos deixou. A torcida organizada do Coritiba protagonizou uma guerra na despedida do clube da elite do Campeonato Brasileiro. Obama ganhou o Prêmio Nobel da Paz. Uma aluna foi assistir aula de vestido curto levou vaias e ficou famosa. Preconceito ou sorte?

Em 2010, Luis Inácio da Silva vai inaugurar outra grande obra: Lula, o filho do Brasil. Toda estratégia de marketing e carisma do presidente, só faz aumentar seu ibope. Esse ano ele atingiu quase 90% de aprovação dos brasileiros. Mas parece que a sua sucessora, Dilma Rousseff, não agrada muito a população, o clima ficou ruim quando ela representou a nação em Copenhague. Sua presença só não foi mais apagada que o apagão, atingindo 18 estados.

E como em todos os anos, tudo termina em panetone. Vamos vestir o branco da paz. Até porque a esperança é a última que morre. Ainda tenho fé que um dia vamos nos tornar uma nação conhecida não apenas pelo futebol, mas pela organização. E não vamos achar mais graça de nós mesmo.

Anúncios

ENADEmissível

zé potóNesse post, vou deixar a publicidade de lado, mas sem esquecer da comunicação social. É um post político, que pode até ser lido como panfletário, mas com certeza, não é vazio e nem falso. Como vários outros estudantes do Brasil tive que perder boa parte de um domingo para fazer a prova do ENADE. Um exame que segundo o MEC, visa sondar o nível de educação do ensino superior, pelo menos é o que dizem, porque na prática foi totalmente o contrário. Domingo acordei cedo, às 10h da manhã, para fazer a prova (se é que podemos chamá-la assim). Quando entrei na sala, recebi o caderno de questões onde pude observar que continha uma série de perguntas sobre conhecimentos gerais, sobre área (comunicação) e sobre a especialização (publicidade).  Porém, no quadro à minha frente, estava escrito um aviso que só precisaríamos responder às questões referentes à nossa àrea, no caso publicidade. Estranhei e perguntei, não fazia sentido uma prova com 40 questões você só ser obrigado a respoder às referentes ao seu curso, simplemente não fazia sentido. Se não é pra responder, porque tem? Como teimoso que sou, fiz tudo. Foi bom e graças a esta teimosia, vi o que muitos estudantes infelizmente não viram, mas que não passou despercebido ontem no Jornal Nacional. A prova, se é que pode ser chamada assim, continha um conteúdo subliminar , aliás, não tinha nada de subliminar era descarado mesmo, sobre as ações do Governo Federal. Uma total puxa-saquice do governo que para acertar, teria que compartilhar da idolatria cega de muitos brasileiros, a mesma que decidem fazer um filme elogiando o Presidente cujo o título é “Lula o filho do Brasil”. A prova era altamente tendenciosa e partidária, e não imparcial, como um exame deve ser. Minha crítica é muito mais profunda, para muitos isso não é nada, mas para mim, é prova que vivemos em uma ditadura oculta, na qual devemos legitimar ações do governo as quais não concordamos.

Para explicar melhor vou colar a matéria do Jornal Nacional sobre a prova e abrir pequenos parenteses em algumas partes: Continue lendo