Potó Entrevistador

foto-perfil3O COMUNICAR 2009 se esvaiu há pouco mais de 1 mês, mas ainda há resquícios do que foi o evento. Sérgio Sousa, publicitário e organizador do COMUNICAR, em uma entrevista exclusiva para o projeto “Bem Vindo ao Mundo da Comunicação”, nos conta um pouco de sua história e de sua experiência como mídia; relata sobre o COMUNICAR e no que ele se tornou, dentre outros fatos. O “Bem Vindo ao Mundo da Comunicação” é um importante projeto realizado pela Faculdade Católica do Ceará (com o apoio mais que necessário do Núcleo de Produção Audiovisual – NUPA; e dos alunos da disciplina de Produção para TV 2009.01) que traz quinzenalmente os profissionais que estão em evidência no mercado para as salas de aula. Uma maneira de aproximar a academia do mercado.

Anúncios

Entrevista do mês. Aqui você fala a vontade. Não seja curto nem grosso.

ze-poto11Há algum tempo queria fazer esta entrevista e postar para os leitores do POTÓ PUBLICITÁRIO. MARCELO LAVOR, é o profissional com o qual tenho o prazer de aprender todos os dias, e ele a pessoa que tem a paciência de ensinar. Pedi informações sobre o seu perfil, mas redigiu um bem mais detalhado do que o meu. Quero dividir com vocês um pouco do que tenho vivenciado ao lado dessa incrível pessoa e profissional.

lavor Marcelo Lavor, nasceu no ano da 1a Copa do Mundo conquistada pelo Brasil, mas também no ano na maior seca que o Ceará já viu. Por isso, gosta tanto de chuva. Ex-futuro agrônomo. Formado em Comunicação Social pela UFC. Redator por formação se transformou num publicitário. Cursos de criação, marketing, redação e planejamento. Roqueiro convicto, detesta axé, forró e pagode, pimenta e a torcida do Ceará (o time, não o estado). Sabe tudo de Pink Floyd. Bicho grilo, chegou anteontem de Woodstock, pois veio a pé. Casado com uma socióloga. 3 filhos: administrador, publicitário (que não trabalha com ele) e físico-médico. Tem como grande confidente seu papagaio (nascido em cativeiro, com certidão de nascimento do Ibama). Trabalhou do menor ao maior mercado, indo das margens do Rio Parnaíba, em Teresina, até as margens do Tietê, em Sampa. Escalas em Goiânia, Brasília, Manaus e diversas temporadas em Fortal, onde toca juntamente com Bosco Carbogim e equipe, a Promosell Comunicação, sucedânea da CBC&A Associados. Muitos conhecidos, poucos e bons amigos. Não circula em eventos, muito menos em badalações, faz o estilo “low profile” pois que tem que aparecer È a marca do cliente. Como todo publicitário, também tem prêmios locais, regionais, nacionais e internacionais, embora sempre prefira receber em dinheiro.

Marcelo Lavor já faturou os seguintes prêmios: About, Colunistas, FIAP, Profissionais do Ano dentre outros.

1) Por que optou pela Propaganda dentre tantas outras profissões?

Depois de 2 anos cursando Engenharia Agronômica, cheguei a conclusão que minha praia era outra, bem distante das ciências exatas. Como sempre gostei de ler e escrever,  a comunicação nunca saiu dos meus planos. Entendi muito cedo que mais do que as flores, o que impressiona é o cartão, como diria Olivetto. Daí para a P&P foi um pulo. A P&P me atraiu de cara pois é uma profissão onde você tem que, necessariamente, usar as muitas ciências e ferramentas criadas pela inteligência e sensibilidade humanas. Você trabalha com TV, cinema, fotografia, artes plásticas, literatura, prosa e poesia, planejamento, design, sociologia, psicologia, economia, administração, estatística, música, teatro, arquitetura, programação visual, e, acima de tudo, com pessoas interessantes e bem informadas.
E mais do que tudo isso, todo dia o trabalho lhe reserva uma surpresa. Todos os dias surge um novo desafio, que È quando a gente olha para o “job” e conclui que ainda tem muito a aprender.
Nenhuma profissão do mundo exige e oferece tanto.

2) Qual a maior dificuldade que você encontrou em sua carreira?

Controlar a ansiedade de querer fazer tudo agora, de uma vez, ao mesmo tempo. E entender que quanto mais a gente aprende e faz, mais tem o que aprender e fazer. Não tenho do que me queixar pois dei muita sorte em ter trabalhado (e aprendido) com excelentes profissionais que acreditaram e tiveram paciência comigo. Hoje, procuro retribuir aqueles que me ajudaram através da paciência com os alunos, estagiários e novatos. Ou seja: aqui se aprende e aqui se ensina.

Continue lendo

Entrevista do mês. Aqui você fala a vontade. Não seja curto nem grosso.

andreyAndrey Ohama já é macaco velho no cenário publicitário local (olha o trocadilho). Já no batente há 22 anos, Andrey já passou por diversas agências, dentre elas Mark, TT ML, Italo Bianchi, foi um dos sócios da Verve e hoje em dia é o homem no comando da 101º Macaco.

Com um vasto histórico que leva bastante experiência, criatividade e respaldo (através de premiações, como Colunistas de Porrada, Profissionais do Ano, Prêmio Abril, Central de Outdoor, Festival de Londres, Clio de New York entre outros ), Andrey ainda vem atuando em grande atividade no mercado local – e até em outros Estados – divulgando seu trabalho e colecionando elogios de seus clientes e respeito dentre os profissionais da área.

Com via disso, Andrey tem cartaz especial no Potó Quer Ser Publicitário desse mês de Fevereiro e junto a este fato trazemos uma entrevista com o próprio. Vejamos e conhecemos um pouco deste profissional e suas perspectivas.

Potó Quer Ser Publicitário – Andrey, você já está atuando no mercado publicitário local há mais de 20 anos. Já passou por várias agências e já desenvolveu todo tipo de trabalho na área. Contudo, nesse tempo todo, você teve algum grande obstáculo que chegou a lhe impedir ou lhe desestimular de prosseguir com seu trabalho?

 

Andrey Ohama – Antes de tudo, quem decide ser publicitário, tem que ter disposição pra enfrentar problemas. E no mercado local, são vários; verbas pequenas, o não investimento em produção, a cultura de corretagem e o maior deles: agências que não se posicionam.

 

 

PQSP – Dentre esses anos que você constituiu sua carreira no cenário local ganhando de elogios a premiações, houve alguma em especial que você possa descrever que fôra sua melhor experiência no ramo que possa ter lhe dado – além de elogios e premiações – uma valor mais tanto pessoalmente quanto espiritualmente?

 

Andrey – O melhor prêmio para publicitário tem que ser o elogio do cliente. Prêmios, na grande maioria, são os elogios da “classe”. O que também é bom, mas nem sempre significa campanhas eficientes. E aí tudo perde o sentido. A melhor experiência estou vivendo agora na 101º Macaco. É nesse modelo de agência que eu acredito. 

  Continue lendo

Entrevista do mês. Aqui você fala a vontade. Não seja curto nem grosso.

 

 

 

André Moreira Nogueira é um dos publicitários mais bem sucedidos de Fortaleza, com 31 anos de idade o jornalista de formação e publicitário de paixão acumulou ao longo dos seus 10 anos de carreira, 31 prêmios locais, nacionais e internacionais. 

Com passagens nas principais agências do estado, o redator, surfista, alvinegro e diretor do clube de criação do Ceará  teve a experiência de ter a própria agência, a Time de Comunicação. Atualmente trabalha na Advance Comunicação, uma das maiores agências do país.

Vamos conhecer um pouco a carreira deste premiado redator. O primeiro entrevistado do Potó. 


Quando despertou seu interesse em propaganda?

 

Sempre gostei de inventar, organizar, liderar, me comunicar. Não tinha idéia da profissão de publicitário por não ter nenhum referencial de um parente próximo, meus pais são médicos, mas notava que não me encaixava ou não me encantava por outras atividades. Um ano antes do vestibular ouvi de um amigo, “você devia ganhar dinheiro bolando propaganda”… Continue lendo