Só um não derruba mas…

Uma porrada de cigarro, derruba qualquer um e foi com essa idéia que a Flex Comunicação lança o viral contra o cigarro. Um anúncio saiu no jornal O estado que chama para o site da Flex, uma integração Impresso – Internet.
Então, se você também concorda com essa idéia pega o link do vídeo , coloca no teu orkut, manda no twitter e espalha no msn.

A Criação veio dessas cabeças:
André nogueira, Amarilio ratts, Emmanuel brandao (Maneeeel)  e  Micael ROBSON

O vídeo foi gravado e editado  lá no NUPA por eles:
Landim (Câmera e Fotografia), Chico Gomes(Fotografia) e Fabrício (Edição)

ONG contra a prática do “finning”.

eu-jv2Ações que chocam quem está assistindo o comercial são fenomenais, pois, mostram a realidade cruel dos fatos.

Um bom exemplo é o que a ONG Sea Shepherd Conservation Society colocou no ar para que as pessoas se conscientizem e acabem com o “finning” prática que consiste na pesca do tubarão, da qual, o pescador corta as barbatanas do peixe e depois o joga no mar, acarretando, assim, na morte do animal.

O comercial mostra o que aconteceria se cortassem nossas “barbatanas”. Confiram o VT abaixo:

Viral da Adidas com craques argentinos!

eu-jv2Mais um viral criado para a marca esportiva Adidas.

Dessa vez tratam-se de três VTs criados pela agência Brandigital, de Buenos Aires, estrelados, cada um, pelos craques Juan Román Riquelme (Boca Juniors) que recentemente renunciou a seleção da Argentina, Falcao Garcia (Porto), Boselli (Estudiantes de La Plata) e Buonanotte (River Plate).

No filme Riquelme usa sua enorme habilidade com a bola para não ser atingido por balas de paint-ball e diz no final do filme: “Eu a amo, ela está limpa”. O segundo VT mostra os jogadores Falcão Garcia e Buonanotte mostrando que não são, apenas, craques com a bola no pé. Já o terceiro comercial traz o jogador Boselli, literalmente, destruindo a trave em uma cobrança de pênaltis.

Se os filmes são verdadeiros?!?! Claro que não! Mas eles fizeram o prometido que era fazer com que cada pessoa que o assistisse passasse o VT adiante gerando, assim, comentários sobre a marca, além, de discussões inflamadas sobre a real habilidade dos craques argentinos.

Lembra muito aquela série de comercial que o Ronaldinho Gaúcho fez na época do Barcelona. A mesma estratégia!

Abaixo vocês conferem os três VTs da ação viral criada para a Adidas:

Ceará se articula para a I Conferência Nacional de Comunicação

Como deve ser a comunicação para formar cidadãos conscientes e críticos? O que fazer para melhorar o conteúdo oferecido pelos veículos? Como a sociedade pode influir na concessão de meios de comunicação e acompanhar os processos de renovação? Como democratizar o acesso a inovações tecnológicas como a TV digital? Essas e outras questões são debatidas por todo País, nas comissões integradas por representantes do poder público e da sociedade civil que se articulam para a I Conferência Nacional de Comunicação. A Confecom vai acontecer de 1º a 3 de dezembro, em Brasília, e terá como tema “Comunicação: meios para a construção de direitos e de cidadania na era digital”. Será presidida pelo Ministério das Comunicações e contará com a colaboração direta da Secretaria Geral da Presidência e da Secretaria de Comunicação Social.

Em Fortaleza, a Comissão Pró-Conferência Nacional de Comunicação do Ceará, formada por membros de cerca de 30 entidades, tem encontros todas as quartas-feiras, às 18h, na sede do Curso de Comunicação Social da Universidade Federal do Ceará. Já está marcada para o início de setembro, faltando apenas definição dos dias, a realização da Conferência Municipal. De acordo com o jornalista Daniel Fonseca, representante da ONG Intervozes na Comissão, além de Fortaleza, já decidiram realizar suas conferências municipais Caucaia e Maracanaú.

Ele informa que depois de audiência com o Governador Cid Gomes, no dia 9 de julho, ficou combinada a promoção da Conferência Estadual para a segunda quinzena de outubro. “Estamos aguardando o decreto do Governador”, afirma. A previsão é realizar, antes, três conferências regionais, além das municipais já citadas. Uma englobando municípios da região Norte, a segunda, os da Centro-Sul e a terceira aqueles situados na região Jaguaribana e Litoral Leste.

Daniel explica que as discussões se dão em três linhas: o acesso à comunicação, ampliando à população o direito à internet e TV digital; o controle social, “toda e qualquer concessão deve ter o controle social”, adverte; e o direito à produção, o que beneficiará TVs e rádios comunitárias ou regionais. Daniel diz ainda que o Ceará é um dos estados mais mobilizados para a Confecom, junto com Bahia, São Paulo, Paraná, Pará e Piauí.

A jornalista Cristiane Bonfim, representante do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Ceará e do Comitê pela Democratização da Comunicação no Ceará, concorda quanto a mobilização e articulação em nível de entidades e governos municipal e estadual, mas observa que a discussão dos temas da Confecom ainda precisa chegar ao público em geral, às ruas. Afinal, o cidadão está na ponta da recepção de conteúdo de baixa qualidade oferecido pelos meios de comunicação, por exemplo. Para ela, a população precisa opinar sobre como deve ser a comunicação no País. Nesse sentido, uma proposta que pode ampliar a participação popular é a da realização de conferências livres, por área. A idéia foi discutida em recente seminário de formação, realizado em Fortaleza.

Fonte: Agência da Boa Notícia

Jornalistas, bem-vindos ao mercado sem diploma*

*artigo escrito por Emmanuel Brandão.

Desde criança sou fascinado pelo mundo da comunicação: seja através de gestos, conversa ou simplesmente um olhar. Comunicação é tudo. É impossível a convivência sem a comunicação. Aproveitei bastante minha infância, joguei bila, bola, sinuca, totó. Sempre com muitos amigos e amigas. Até “cai no poço” eu brincava.

Adoro futebol, meu sonho era ser jogador profissional. Sou viciado pelo esporte, sempre procurei o máximo de informações sobre o assunto em jornais, televisão, sites, filmes, revistas e conversas com mais novos e velhos. Devido essa grande interação pelo esporte, passei a sonhar em trabalhar com futebol. Mais especificamente escrevendo matérias e artigos relacionados. Ao terminar meu terceiro ano no extinto colégio Marista Cearense, tentei cursar Jornalismo na UFC, mas não passou de uma tentativa.

Foi aí que comecei Publicidade e Propaganda na Faculdade Católica do Ceará. Foi um choque muito grande saber que os cursos são bem próximos e distantes. Aceitar que não poderia fazer o que realmente gostava foi complicado. Mas quando comecei a interagir com a propaganda e trabalhar na área, me apaixonei. Hoje sou plenamente satisfeito com o que faço no meu dia a dia. Embora me revolte uma profissão tão importante e cheia de glamour como é o universo da propaganda não ter um sindicato.

Admirava os jornalistas pela organização e empenho da Federação Nacional dos Jornalistas– Fenaj . A exigência da formação superior foi uma conquista com 40 anos, derrubada pelo Supremo Tribunal Federal. Confesso que fiquei surpreso e revoltado. O senhor relator Gilmar Mendes ressaltou que as únicas profissões que exigiam diplomas, eram as traziam algum tipo de dano para sociedade ou prejuízos direto para terceiros.

Mesmo não seguindo a carreira jornalística, fiquei chateado com a comparação do relator ao dizer que jornalista era mesmo que chefe de cozinha, onde bastava experiência para tornar-se um bom profissional. Venhamos e convenhamos, Gilmar Mendes, toda e qualquer profissão, a prática faz a diferença. Por mais que tenhamos um dom, se ele não for lapidado, não irá aparecer. Até mesmo um jogador, se não treinar todos os dias, ele não desenvolve tanto. Depois não reclamem quando a mulher melancia, mulher moranguinho, mulher melão, mulher maçã estiverem apresentando os telejornais. Vai ser uma salada mista de informação.

Folha seca vira suporte para impressão!

eu-jv2Fazia tempo que não postava nada e essa novidade eu tinha que trazer para vocês.

Trata-se de uma ótima idéia criada pela empresa brasileira Tátil Design (www.tatil.com.br). Eles tiveram a genial idéia de pegar folhas secas e transformar em cartões de visitas e flyers! Usando tecnologia a laser para gravar a arte gráfica nas folhas secas a Tátil Design conseguiu criar uma ótima idéia que diminui o impacto ambiental e, consequentemente, os gastos com verbas.

Abaixo vocês podem conferir imagens desse novo suporte:

med1med2med5

Ideias Valiosas*

*artigo escrito po Emmanuel Brandão

O caso Stefany, melhor dizendo case, virou febre na internet. Seu vídeo do CrossFox já foi visto por mais de 1 milhão de telespectadores. Com esse sucesso repentino, agenda de shows lotada e entrevistas, a garota humilde do interior do Piauí de apenas 17 anos está vivendo como celebridade. Embora essa vida artística seja cheia de voltas, ela aproveita no seu CrossFox.

Esse caso serve para que empresas modernas e tradicionais explorem e aproveitem mais a internet como uma nova (quase velha, já) ferramenta do mundo moderno. Atualmente, passamos mais tempo na frente do computador do que na televisão. Suas inúmeras janelas abrem diversas oportunidades para compras, vendas e até namoro.

Como toda garota humilde, Stefany sonhava em ser cantora, fazer sucesso, viver como uma celebridade. O que parecia muito distante da sua realidade. Hoje a vida da garota deu um giro de 360 graus.

Quem trabalha com comunicação, todo dia acorda com um novo desafio: chamar atenção do seu público-alvo de maneira atraente, seja através das mídias tradicionais ou alternativas. Tentando entrar no cotidiano das pessoas de maneira inusitada vendendo seu peixe sem gastar muito com o anzol.

A garota com muito bom humor e talento criou uma oportunidade para começar sua carreira artística. Com uma produção caseira e uma voz razoável, a garota e o CrossFox estão na boca do povo. Ponto para Stefany, ponto para o CrossFox que aproveitou o ibope da garota para fazer sucesso também. Se você tem alguma ideia na gaveta pode colocar pra frente. Pode render um CrossFox, mas também pode render uma Ferrari.