Pense duas vezes antes de “Rebolar no Mato”

Campanha da agência Small, de Barcelona, para o governo da Catalunha, pela preservação do Mediterrâneo. Ilustração de Klas Herbert. Via LáFora

Super bem criada e produzida, a campanha mostra as espécies mais comuns de materiais poluentes encontrados nos oceanos. Vale a pena conferir:


Continue lendo

Anúncios

Vídeo contra o racismo…

Putz, achei um vídeo muito legal pelas minhas andanças na net.

Tá certo que ele não é lá muito criativo, mas é uma otima oportnidade de fazer uma reflexão. Por que por incrível que pareça, esse vídeo é mais real do que a gente imagina.

OBS: FALANDO EM PRECONCEITO, VOU DENUNCIAR UM QUE EU ESTOU SOFRENDO POR UMA CERTA ALUNA QUE EU NÃO VOU CITAR O NOME CHAMADA CAROL. CADE O MEU NOME NA LISTA DE POTOZOÁRIOS À DIREITA DO BLOG? PRECONCEITO É CRIME VIU??!?!?

Publicidade motiva ação do Ministério Público Federal contra cervejarias.

As grandes cervejarias terão mais uma batalha jurídica pela frente. Agora, o Ministério Público Federal de São José dos Campos, interior de São Paulo, distribuiu comunicado à imprensa informando que ajuizou um ação civil pública contra Ambev, Femsa e Schincariol. A ação, proposta na Justiça Federal da cidade do Vale do Paraíba paulista mas que possui validade para todo o País, contém um pedido de indenização pelo “aumento dos danos causados pelo consumo de cerveja e chopp”. O valor da indenização chega a R$ 2,75 bilhões.

O responsável pela ação, Fernando Lacerda Dias, procurador da República, afirma que as três empresas “respondem por 90% do mercado cervejeiro nacional e investem maciçamente em publicidade (quase 1 bilhão de reais só em 2007), para aumentar a venda de seus produtos e, conseqüentemente, seus lucros”. 

A ação é baseada em mais de um ano de apurações realizadas pelo MPF por meio de inquérito civil público, além de pesquisas e textos científicos nacionais e estrangeiros. “A ação vem complementar os esforços do MPF em reduzir/minimizar os efeitos maléficos produzidos pelo consumo de bebidas alcoólicas”, disse Dias. “Essas ações agressivas de publicidade refletem diretamente no aumento do consumo de álcool pela sociedade e na precocidade do consumo. Os jovens começam a beber cada vez mais e mais cedo”, finaliza o procurador.

A íntegra da ação pode ser lida aqui.

Retirado do M&M OnLine.

Lançamento do Guns n’ Roses gera buzz para Dr Pepper.

No começo de 2008, a Dr Pepper (empresa que fabrica um refrigerante com corante de caramelo) prometeu que daria uma lata do produto para cada americano se o Guns n’Roses um dia viessem a lançar o seu álbum “Chinese Democracy”, que ficou na geladeira por mais de 17 anos.

Pois bem. Agora é oficial. O álbum será de fato lançado no final de novembro. E o que é mais surpreendente: a companhia vai cumprir sua promessa, o que gerou um buzz tanto para a banda quanto para a marca. “Nunca imaginávamos que esse dia chegaria”, diz o diretor de marketing Tony Jacobs.

O esquema será o seguinte: o álbum será lançado no Best Buy em 23 de novembro. No mesmo dia, os consumidores terão de entrar no site da Dr Pepper e assinar um cupom, que ficará disponível por 24 horas. Na pior das hipóteses, se 300 milhões de americanos fizerem isso, o custo será de US$ 165 milhões, considerando-se que cada lata é 55 centavos.

Mas a companha diz ser muito improvável que a maioria esmagadora dos americanos esteja logada neste período. Especialistas em cuponagem e sampling dizem esperar que a companhia invista alguns milhões de dólares em refrigerantes grátis. Num exemplo recente, a Taco Bell deu tacos gratis numa promoção ligada à World Series de Basebol. A companhia investiu 5,6 milhões para divulgar a promoção, e a doação custou menos de US$ 1 milhão, sem contar a publicidade gratuita. E o anunciante vai repetir a estratégia neste ano.

Wes Brown, dono da consultoria Iceology, crê que a promoção pode criar uma relação de lealdade entre consumidores. Outros crêem que a associação com Axl Rose é excelente, especialmente para uma marca que tem apostado na música para o seu marketing. Vale lembra que a Best Buy, que vai comercializar o CD, e a Dr Pepper tem a mesma agência de relações públicas, a Ketchum.

Retirado da M&M OnLine.

O poder do subconsciente na compra.

O publicitário norte-americano Martin Lindstrom lançou o controverso livro Buyology: Truth and Lies About What We Buy, que traz à tona os três anos de um estudo de US$ 7 milhões sobre neuromarketing, conduzido por ele próprio. Com um time de pesquisadores de Oxford, ele utilizou tecnologias como ressonância magnética e eletro-encefalograma em 2 mil pessoas de cinco países num esforço para melhor entender o comportamento dos consumidores.

O diferencial do estudo foi poder analisar a eficácia de mensagens de alerta de saúde em produtos, efeitos do product placement e de mensagens subliminares, dentre outras coisas.

Uma descoberta é que os consumidores são dirigidos não somente por motivações conscientes, mas subconscientes também. “A maioria das decisões que tomamos todos os dias ocorrem basicamente numa parte do cérebro onde não estamos sequer cientes delas”, afirma. “Eu realmente quis encontrar o que faz uma marca ter apelo para nós. Você não pode perguntar isso para a mente consciente ou depender de uma resposta verbal”.

Mas você pode depender do cérebro, diz ele, lembrando o porquê de o chamado neuromarketing, que é o estudo de como o cérebro responde ao marketing, ter vindo para ficar.

Lindstrom afirmou que uma das descobertas mais surpreendentes envolveu os maços de cigarro com mensagens fortes. Quando os pesquisadores perguntavam se o aviso funcionava, a maioria disse que sim. Essa era a resposta do consciente. Mas o subconsciente trouxe respostas diferentes. Isso porque quando os pesquisadores repetiram a mesma pergunta e exibiam flashes de imagens de embalagens com fotos fortes, tudo captado pela ressonância magnética, a imagem do exame ativava “manchas de desejo” no cérebro, indicando que os avisos fazem os fumantes quererem fumar mais, e não menos, como se supõe.

Em outros estudos, pesquisadores também apontaram que os anúncios anti-fumo tem efeito contrário.

A “Comprologia” também diz que o logo de uma marca não é tão importante como muitos julgam ser. O senso de som e cheiro dos consumidores pesquisados era muito mais poderoso que o senso de visão.

Outra conclusão é que o product placement nem sempre funciona. Por exemplo, quando os pesquisadores de Lindstrom analisaram essa estratégia em American Idol descobriram que a Coca-Cola foi mais efetiva na hora de cativar os consumidores do que a Ford, mesmo sabendo-se que ambas pagaram valores próximos a US$ 26 milhões em suas campanhas. A razão: a marca Coca-Cola e suas cores foram vistas continuamente, enquanto a Ford, que patrocinou videos no programa, era menos visível e integrada à ação. 

Lindstrom compreende que as pessoas podem ter medo de usar o neuromarketing, mas segue convencido de que isso pode ser usado, desde que de maneira ética. A dvertising Research Foundation não vai comentar o assunto até ter acesso ao livro.

Retirado do M&M OnLine.

Selecionados para o Festival Nóia 2008

Sábado saiu o resultado dos selecionados para o 7º Festival Brasileiro do Audiovisual Universitário, o Festival Nóia, e a faculdade teve um expressivo resultado com 3 vídeos na lista. São eles:

Categoria Publicitário:

Amarelinha –  George.

Chiclete –  Micael, Zé Luiz e Isaac (Unifor).

Categoria Documentário

Figurativa – Alexandre, Jamylles, Luana e Raíssa.

A moçada se garantiu, agora é ficar na expectativa e torcer até a premiação.

Veja os vídeos publicitários selecionados.