Os eus

     Certo dia, enquanto escovava meus dentes, deparei-me com um estranho, uma pessoa que eu nunca tinha visto na minha e vida mas ao mesmo tempo era uma pessoa tão íntima, era minha imagem refletida no espelho. Então terminei de escovar meus dentes e fiquei observando a minha imagem, tentando entender porque que aquele desconhecido era tão significativo em minha vida.
Depois de alguns minutos algumas perguntas vieram à tona, como por exemplo “Porque que eu sou essa pessoa ai?”, “Porque eu nasci um ser humano?”, “Será que um dia eu já fui um outro animal?”. Logo em seguida, algumas supostas respostas apareceram no meu raciocínio como se tivesse alguém me explicando sobre minhas dúvidas, e tudo começou a ficar mais claro, até o momento que surgiu outra dúvida, “Como é que me pode ser uma só pessoa, e responder às minhas próprias dúvidas?” logicamente uma pessoa que tem dúvidas não sabe as respostas, porque se soubesse não teria dúvidas.
     A partir desse momento fiquei pensando se existiam dois eus, porque eu estava vendo outro eu na minha frente, enquanto outro eu respondia as dúvidas do primeiro eu, que no caso é o eu que eu vivo, ou será que não? Porque o eu que está pensando agora é privilegiado em ser considerado único? Porque um eu às vezes entra em conflito com outro eu se eles são tão parecidos? Ou será que eles não são e foram postos no mesmo corpo só de sacanagem? É engraçado porque quanto mais perguntas eu faço, mais respostas eu tenho e estas respostas geram mais dúvidas, e assim sucessivamente, como se estivesse andando em voltas.
     Às vezes penso que existem milhares de eus no mundo, mas esses eus não fazem parte de um corpo só, é como se fosse uma infinidade de eus que fazem uma espécie de rodízio sobre os corpos que eles se identificam, mas o conhecimento que cada mente absorve, não pode ser transferida com o eu. O eu serve para administrar o conhecimento e não se apropriar. Deve ser por isso que às vezes mudamos totalmente de idéia sobre algum assunto, pois o eu que tomou a decisão já cedeu o lugar para outro eu, que não gosto da decisão e modificou-a.
Posso citar como exemplo um fato que está acontecendo exatamente agora, enquanto estou digitando este texto. Ao iniciar o meu raciocínio, estava com inspiração para escrever este texto, tendo as idéias todas organizadas para colocar no papel. Mas agora parece que o eu saiu e entrou outro eu, só que agora um preguiçoso, que está só atrapalhando o meu raciocínio. Acho que vou aguardar um pouco para ver se este eu se manca e deixa um eu responsável trabalhar.

Pronto… Podemos continuar…
     Estes eus apesar de serem bastante racionais, são muito sensíveis a qualquer coisa que esteja afetando o corpo em que ele está hospedado, e isto às vezes afeta as decisões que ele tem que tomar, com isso, as decisões muitas vezes são tomadas erradamente, o que causa o arrependimento e angústia. Então, o mais lógico é que as pessoas tomem cuidado com o corpo e com suas emoções para estar preparado quando o próximo eu chegar, porque nunca se sabe quais são as tendências que este vai seguir. Porque já pensou o que irá acontecer se chegar um eu com tendências suicidas ou assassinas e o corpo estiver deprimido?

Potó está de Luto

Vivemos um mundo com preocupações ambientais. Aquecimento global, escassez de recursos naturais não renováveis, e como aluno de publicidade aprendeu em inúmeros concursos e exercícios em sala de aula a criarmos peças para defender o meio ambiente. Tudo isso, logicamente, acreditando no apoio que tínhamos da nossa Faculdade que, com seu discurso de crescer e nunca parar, nos passava a idéia de ser uma instituição que prezava além de uma educação de alto nível, mas também o respeito à natureza. Acredito ainda nisso. Porém, muito pouco depois de tomar conhecimento do falecimento de nosso ícone, ou como queiram chamar, da nossa Castanhola. Nosso símbolo maior e fonte de inspiração para criação do blog Potó quer ser publicitário, infelizmente foi cortada, assassinada, ceifada, ou como queiram. Isso mesmo, nossa Castanhola foi cortada sem nem mesmo sabermos o motivo para tal ação realizada pela Faculdade com o aval da diretoria. Uma diretoria que nos dá um oi falso ao longínquo, mas que para o curso de Estilismo e Moda são beijo, abraços e um “Oi, minhas estilistas!” cheio que amor, harmonia e adulação << Quanta falsidade!>>

O local que antes era ponto de encontro de inúmeros colegas que se reunião antes ou depois de cada aula para discutir, estudar, namorar ou até falar “besteiras” agora não tem mais o mesmo charme e acredito que não será convidativo a nenhum calouro que entrar na instituição e esses que entrarão não saberão quão bela era a nossa Castanhola. Podíamos até reclamar do mal cheiro que nos rondava, mas nunca que iríamos querer algum mal a Castanhola – até porque podíamos achar ruim a catinga que empestava nosso espaço, mas gostávamos de estar todos ali juntos. Queremos explicações da direção para o motivo que levou ao falecimento prematuro de um dos nossos maiores símbolos e fonte de inspiração, pois uma coisa sabemos, se não fosse a Castanhola, logo a comunidade de potós, esse texto não teria sido escrito nem o blog criado.

Por um instante pensei que a faculdade estava mais confiante nos alunos, criou a semana de apresentação. Uma excelente iniciativa que integrou os alunos. Bastou ficarmos de férias para ela assassinar nosso símbolo. Sim, a faculdade foi covarde ao ponto de fazer isso sem o consentimento dos alunos. Ela esperou todos saírem para ir lá e derrubar. Será que as pessoas não percebem que as árvores são história, são vida, são cultura? Quantos momentos essa árvore do pátio da Marista não presenciou? Quanta sombra ela já não ofereceu? Quantas vezes não foi recanto para amigos e amantes?

Texto por: Carolys, João Victor e Pedro Augusto Rafael

Publicidade desaparecerá da TV pública francesa.

O presidente francês Nicolas Sarkozy, afirmou nesta sexta-feira, 27, que a publicidade deverá desaparecer paulatinamente da televisão pública francesa até 2011. O plano divulgado pelo chefe de Estado francês, depois de receber o informe da comissão parlamentar encarregada de desenhar o futuro da televisão pública, prevê que esta operação aconteça em duas etapas, conforme divulgado pela Europa Press.

A primeira terá início em janeiro de 2009, quando os espaços publicitários não poderão ser emitidos no período que vai das 20 às 6 horas. A segunda começará em 1° de dezembro de 2011, quando a proibição será total. Só serão mantidos os patrocínios das emissões, a publicidade na Rede Francesa de Ultramar (RFO) justificada pelas dificuldades para encaminhar os anunciantes para outros meios, a publicidade nas páginas da web ou a de interesse geral que, segundo anunciou o presidente, será redefinida em breve.

Para compensar a falta de rendimentos provocada pela ausência de publicidade, estimada em 450 milhões de euros, Sarkozy propôs criar um imposto de 0.9% sobre a cifra de negócio das operadoras de telefonia móvel e internet. Além do mais, as cadeias privadas terão que contribuir com 3% de seus ganhos publicitários por um rendimento global de mais ou menos 80 milhões de euros.

Consciente dos receios que esta mudança  – qualificada por ele como uma “reforma histórica” – provoca no setor, Sarkozy declarou  – conforme noticiou a Europa Press – estar disposto a escutar as preocupações das cadeias privadas e a buscar “um equilíbrio entre televisões públicas e privadas”, argumentando que “a pública é frágil quando a privada também o é, e viceversa”.

Foice

Negrada do Potó Quer Ser Publicitário, nossa querida referência foi embora. Foice! Cortaram a árvore da Potolândia. Ela ficou cotó, só um tronquinho. E agora? Quem quer ser publicitário? E o nosso tão amado amigo potó?

Isso não está me cheirando nada bem. Como deve ser o novo nome do blog? Potó Cotó?

Festival de Cinema Universitário Latino-Americano

A segunda edição do Perro Loco – Festival de Cinema Universitário Latino-Americano continua a luta pelo reconhecimento dos novos talentos do audiovisual e pela integração de todos os povos da América Latina. De 4 a 9 de novembro de 2008, cineastas universitários de diversos países latino-americanos poderão mostrar suas idéias e a realidade de sua gente, numa grande e democrática confraternização de nações irmãs.

O tema dessa edição é “Fronteiras” e simboliza a necessidade de se quebrar as barreiras existentes entre os países da América Latina. Idioma ou distância precisam ser superados em prol da união de povos com anseios semelhantes e histórias que se cruzam. Nada mais eficiente que o cinema para cumprir essa tarefa. O cinema é uma língua universal, compreendida por todos, capaz de expressar os sentimentos de uma comunidade de forma única.

Como modo de reconhecer o valor do cinema universitário, o 2º Perro Loco vai oferecer nove prêmios divididos em três categorias (documentário, ficção e animação). Os prêmios tem como objetivo incitar o debate e a reflexão sobre a linguagem cinematográfica produzida dentro das universidades.

A produção audiovisual universitária representa a oportunidade de experimentação e fuga do convencional. É o momento de descoberta e ruptura, quando alguém deixa de ser apenas espectador para expressar sua vontade de filmar, seu desejo de mostrar um ponto de vista e de capturar imagens que representem a síntese de um ideal.

O 2º Perro Loco também consolida um movimento entre os estudantes da Universidade Federal de Goiás (UFG), que continuam à frente da execução do projeto depois do sucesso da primeira edição. Entre os dias 19 e 23 de setembro de 2007, os alunos da UFG entraram em contato com realizadores universitários de 19 estados brasileiros e seis países, num total de 186 obras inscritas.

Agora, convocamos novamente todos os estudantes deslumbrados pela cultura e história dessa América Latina que ainda espera ser descoberta e valorizada. Ninguém consegue ultrapassar as fronteiras sozinho. Por isso, contamos com a sua participação e esperamos você para gritarmos juntos todo esse amor pelo jeito latino-americano de ser!

Mais informações:

Tutorial – Como comentar no potó

Sim sim sim, um post de tutorial para aqueles(as) coleguinhas que ficam perdidos ao entrarem nesse mundo virtual e que ficam com muita vontade de comentar nos posts mass não sabem por onde vai e por onde vem.

Calma, calma, esse post veio ajudar você coleguinha que quer dar sua opinião mas fica perdido no meio de tanta iformação.

Vamos lá:

Figura N° 1 – Página Inicial do Potó Publicitário:

Figura N° 2 – Lugar dos comentários no post:

Figura n° 3 – Página de Comentários:

Pronto! Depois de escrito você clica em Enviar Comentário. =]
Se for o seu primeiro comentário, ele vai ter que ser aprovado por mim. Depois de aprovado, pode comentar quanto quiser =]

Taí a nossa industriazona

Ontem na academia, vi uma pessoa folheando uma revista dessas de fofocas. Ao me aproximar, o que vi: um dos travestis envolvido no episódio Ronaldo e o Traveco.
Quando se trata de uma reportagem investigativa, vem a calhar imagens de vítimas e de envolvidos no caso. Mas no contexto em que encontrei a tal figura transexual, tratava-se de uma estrela, uma verdadeiro pop star, que pousava para uma fotografia.

Isso me fez cair num questionamento: do que precisaria alguém para se transformar num artista? Tudo que está inserido na indústria cultural realmente é arte? Travecaria: prostituição ou obra-prima?

Por que nomes tão talentosos como Chico Gomes ou Ricardo Salmito não aparecem em revistas cotidianamente?

Nessa mesma semana ainda, vi na programação da Rede TV a sobrinha da Gretchen lançando um cd no mesmo embalo de Creu. Posso soltar um trecho da música? Pois aí vai: “Ai, é de babar. Ai, é de babar. Ai, é de babar, cachorrão quer me pegar.”

Como percebem, mais uma vez o atrativo do “trabalho” não está nem de longe na “música”, mas na jovem que vai se apresentar com peças de roupas minúsculas mostrando até o rosto, numa espécie de prostituição da imagem. Isso mesmo, porque aquilo não se difere em nada de um ato prostitutivo, ela está vendendo o corpo pra quem quiser. A que horas foi ao ar? Por volta das 16h00min, quando qualquer um mesmo podia assistir.

É essa a onda, que vem na carona de Creu. Como é o caso, também, da mulher melão (não querem que eu explique o porquê do nome, né?). Mais uma vez pergunto: isso é o que se chama de talento? E isso é só um exemplo, que faz parte de uma grande (des)organização midiática e só tende a crescer. E sabem por quê? Porque vende! Os Integrados podem falar a vontade das vantagens da Indústria Cultural, mas somos submetidos todos os dias a esse tipo de invasão cultural, considerando que isso é arte e que essas meretrizes são as artistas da contemporaneidade, que roubam a inocência da infância e o espaço dos verdadeiros gênios. Vão espremer ao máximo melancia e melão e no final quem TOMA somos nós…